Debate Cibridismo

Mesa redonda sobre cibridismo @it_web 12/04/2012
Cibridismo não é um conceito novo, já que interagimos com o universo cibernético há pelo menos 20 anos através das primeiras redes, BBS e nos primórdios da Internet.
O que é novo agora é o grau de conectividade em tempo real e a inclusão de centenas de milhões de pessoas nesta nova realidade.
Além disso, vivemos uma época de crescimento exponencial nas tecnologias de informação.
Repare a curva abaixo, que mostra a aceleração das ferramentas de informação.

Comportamento similar, de crescimento exponencial, é mostrado pela lei de Moore (desempenho do chip de computador dobra a cada 18 a 24 meses)

Marcos importantes:

2020: Computador pessoal atingirá a capacidade de processamento do cérebro humano

2045: Computador pessoal atingirá a capacidade de processamento de TODOS os cérebros humanos juntos

 

Juntando os avanços computacionais com outras áreas, principalmente a neurociência, podemos esperar, em 2045, atingir um ponto denominado de singularidade, de acordo com Raymond Kurzweil e uma série de outros pesquisadores e pensadores que seguem esta linha de raciocínio.

No ponto de singularidade, a curva de crescimento torna-se basicamente uma curva reta para cima e, a partir deste período, teremos um ponto disruptivo, que alterará para sempre o curso da humanidade.

Fazendo uma analogia ao cibridismo, podemos pensar que este ponto será a realização do cibridismo na escala e penetração mais completa possível. Vale a pena a leitura dos dois trechos seguintes, extraídos da Wikipedia

  • The Singularity occurs as artificial intelligences surpass human beings as the smartest and most capable life forms on the Earth. Technological development is taken over by the machines, who can think, act and communicate so quickly that normal humans cannot even comprehend what is going on; thus the machines, acting in concert with those humans who have evolved into postbiological cyborgs, achieve effective world domination. The machines enter into a “runaway reaction” of self-improvement cycles, with each new generation of A.I.s appearing faster and faster. From this point onwards, technological advancement is explosive, under the control of the machines, and thus cannot be accurately predicted.
  • The Singularity is an extremely disruptive, world-altering event that forever changes the course of human history. The extermination of humanity by violent machines is unlikely (though not impossible) because sharp distinctions between man and machine will no longer exist thanks to the existence of cybernetically enhanced humans and uploaded humans.

Para se ter uma idéia do impacto das idéias de Kurzweil e outros pensadores, foi criada, em 2008, no Vale do Silício,  a Universidade da Singularidade, instituição para formar e treinar líderes para atuarem num cenário de avanço exponencial tecnológico, em benefício da humanidade.

A Universidade está localizada na NASA e conta com parceiros como Google, Nokia, Cisco, Autodesk, dentre outros.

Vamos voltar agora a nossa realidade, ainda levemente cíbrida. Desde a invenção do computador, levamos aproximadamente 50 anos presos a um teclado para comunicar informações e pensamentos, digitando letra por letra, e somente ano passado tivemos algo realmente disruptivo, permitindo a interação de forma mais natural: o SIRI, agente virtual da Apple.

Repare que mesmo com o SIRI, supondo que ele esteja funcionando perfeitamente bem, ainda perdemos muito tempo pois temos que transformar o pensamento em palavras e ditá-las ao agente. Bom, imagine agora que o pensamento seja comunicado instantaneamente através de leitores de ondas cerebrais. É exatamente isso que a empresa NeuroVigil está desenvolvendo, um produto chamado iBrain. Recentemente, o fundador da empresa, Philip Low, levou o iBrain para a casa do cientista Stephen Hawking, que se comunica hoje apenas com alguns movimentos da bochecha. Vale a pena a leitura deste artigo, conta com mais detalhes esta tecnologia de eletroencefalograma “always on”. Está claro que estamos indo para um futuro onde nossos pensamentos serão lidos. Primeiramente por capacetes e faixas repletas de eletrodos mas com o passar do tempo e com os avanços da neurociência, provavelmente teremos chips neurais acoplados nos nossos cérebros.

É importante notar os avanços recentes do reconhecimento de voz, web semântica, leitura de pensamento e, há poucos dias, o lançamento do protótipo do óculos do Google de realidade aumentada, cujo vídeo de lançamento pode ser visto aqui. Podemos imaginar uma experiência ainda mais cíbrida com uma versão 2.0 dos óculos que eu proponho aqui.

É de se esperar que as empresas mais inovadoras do planeta (Google e Apple) sejam as maiores responsáveis pelos avanços da sociedade cíbrida. Evidentemente, uma série de outras empresas inovadoras despontarão como grandes players em segmentos como reconhecimento de voz, web semântica, mineração de dados, big data, inteligência artificial e neurociência. Principalmente em relação ao reconhecimento de voz e semântica, que é intrínseco para cada língua, temos muito espaço no Brasil para novas empresas.

Vivenciaremos avanços e mudanças extremas daqui pra frente. Estamos no meio da maior revolução tecnológica da história e cabe a nós estarmos atentos. Negócios inteiros serão aniquilados. Novos negócios surgirão e os ciclos serão cada vez mais rápidos. Nossa cognição está sendo amplificada e nossa saúde está melhor (meu iPhone me diz que o meu batimento cardíaco agora está em 61 batimentos por minuto e que a minha última noite de sono foi boa, comparada com a média ). Esse é o mundo atual. Curta esta experiência!